Compreendendo os pais adotivos – Luiz Schettini Filho

Capítulos:

  • A verdade.
  • O sangue.
  • A infertilidade.
  • A gravidez após a adoção.
  • Os adotivos e os biológicos.
  • A consciência da maternidade-paternidade.
  • A separação dos pais adotivos.
  • A imagem dos pais biológicos.
  • A busca da origem.
  • O projeto educativo.

Trechos:

“Só a consciência do significado da maternidade-paternidade vai proporcionar o ambiente de aprofundamento da relação filial adotiva. Essa consciência implica a incorporação do filho, como expressão da internalização do desejo e da decisão de tê-lo, o que não pode, simplesmente, ser conquistado como o preenchimento de uma necessidade circunstancial. Incorporar o filho significa ele “entrar no corpo para sair do corpo” como se fosse a simbolização do processo fisiológico de reproduzir: fecundar-gestar-parir. ” Luiz Schettini Filho

“O medo de amar diferenciadamente os filhos tem origem na idéia de que, para não se fazer injustiça, tem-se a “obrigação” de amar os filhos da mesma maneira e na mesma intensidade, o que é, humanamente, impossível. Ama-se de formas diferentes, pessoas diferentes. A diferença não tem a ver com quantidade, até por ser impossível quantificar as emoções. O afeto é pessoal, na sua forma, intensidade, qualidade e duração. É resultante da disposição pessoal de amar, modificada pelas características de quem amamos. Há pessoas a quem facilmente amamos, enquanto a outras amamos trabalhosamente.” Luiz Schettini Filho

Ficha Técnica:

Título: Compreendendo os pais adotivos

Autor: Luiz Schettini Filho

Editora: Bagaço

Vendas: http://www.interblogs.com.br/luizschettini/produto/7

 

(40) pessoas leram esse texto.

Compartilhe:

Deixe sua opinião

Comentários

Diogenes Duarte

Jornalista – DRT 986/MS – Servidor do Poder Judiciário do MS – Membro do Grupo AFAGAS.